Preconceito com Games e Gamers

Preconceito com Games e Gamers

Num um mundo de jogos tão vasto, com tantos estilos para todos os gostos, teria lugar para pessoas terem preconceito com jogos e com quem os joga?


Por incrível que pareça a resposta é sim e isso não é de hoje. Desde os primórdios do mundo dos games isso ocorre e um exemplo bem antigo é o The Sims, ainda no primeiro titulo o game teve preconceito até de empresas para publicar falando que se tratava de um jogo de casinha de bonecas interativo e que isso é coisa de menina e que vídeo game é coisa de homem. Por melhor que o jogo era - naquela época o primeiro título era foda, hoje já está ultrapassado principalmente em questões gráficas, mas tem títulos atualizados -, havia preconceito por parte dos gamers. Isso é um pensamento muito ultrapassado sendo que aqui no Geek Coming temos um artigo sobre isso, dá uma olhada no que a gente acha sobre mulheres jogarem vídeo game.

Outro jogo que sofreu muito preconceito foi o Tibia. Esse jogo online com visão aérea e gráficos 2D consegue ser bom?

Bem, se você gosta de MMO, ele é bom sim. Um MMORPG com um universo gigantesco, cheio de pessoas jogando o dia todo, uma comunidade muito grande e ativa, instalação leve... Isso é ótimo!
Até agora só foram exemplos de jogos antigos, mas atualmente ainda existe esse tal preconceito? É óbvio que sim!


Um exemplo bastante atua é o Minecraft. Esse jogo todo cheio de blocos tem como ponto mais forte a sobrevivência - para muitos, a sobrevivência é não morrer de verdade durante o jogo -, ter um mapa quase infinito e totalmente destrutivo.

Só de sacanagem eu vou das umas dicas sobre o que você pode fazer em Minecraft.


Você pode: minerar, fazer armas, armaduras, ferramentas, casas, prédios, muralhas, fazendas, matar animais, matar monstros, pescar, fazer trilhos e andar nos carrinhos, enfeitiçar armas e ferramentas, ir para o Nether - deixa de ser noob, esse é o inferno no game -, pegar ingredientes para poções - no Nether -, ir para o End e matar o Ender Dragon - que é como se você tivesse zerado o jogo -, entrar em vilas e trocar itens com aldeões, entre várias outras coisas. Depende da sua imaginação!


Mesmo se tudo isso e muito mais não foi o suficiente pra você, além do jogo ter atualizações frequentes desde 2011, você ainda pode baixar Mods para o jogo e acredite, são inúmeros.

Nós somos bem livres para falar de jogos por aqui e não vamos ignorar um artigo sobre Minecraft, caso seja necessário aparecer um.


Um outro jogo recente que sofre muito preconceito é o League Of Legends, mais conhecido por LOL ou LOLzinho, focado em batalhas online entre players. No jogo, 2 times lutam com o objetivo de destruir as torres do inimigo. O game apesar de muito bem feito, divertido e extremamente viciante sofre um preconceito gigante de outros Gamers sendo chamado até mesmo de “jogo de viado” - hahahahah -, o que não tem nada a ver. Eu particularmente não sou muito fã por não gostar de MOBA, porém para quem curte, provavelmente será um ótimo jogo que você vai tirar horas e horas de diversão. Aconselho a jogar com amigos e comunicando com eles por voz, assim fica muito mais fácil, te dando muita vantagem contra times sem comunicação. O jogo tem transações para compra de itens - meu amigo mesmo gastou R$300 -, porém não é um jogo Pay-to-Win, o que geralmente é comprado são Skins para os personagens.


Daria para eu falar mais, porém esses exemplos já são suficientes, são ótimos jogos que muitas vezes não são jogados devido ao preconceito criado e antes que alguém fale que preconceito é uma palavra muito forte, basta analisar a palavra.

2 comentários

avatar
×

Muito exelente parabens belo trabalho e otimos conteudos adorei att cris sena

avatar
×

Brigadão, Cris! ^^ É ótimo saber que podemos entreter os nossos leitores.

Abração!!!

Deixe de preguiça e comente a sua opinião aqui embaixo! =)